SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=35132 LIMIT 1
O Documento - Famílias diminuem nível de endividamento em setembro

CUIABÁ

Famílias diminuem nível de endividamento em setembro

Por: Da Redação
Índice ficou em 28%, de acordo com pesquisa da CNC
Índice ficou em 28%, de acordo com pesquisa da CNC

O índice de endividamento do consumidor caiu 2,3 pontos percentuais em setembro sobre o mês anterior e atingiu 60,3% (116.982) do total de famílias em Cuiabá. A pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgada pela Fecomércio-MT, na quinta-feira (4), aproximou-se do patamar observado em setembro de 2017, quando o número de famílias que possuíam contas parceladas era de 59,4% (113.954).

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) também registrou queda mensal no número de famílias que possuem contas em atraso, de 29,1% (56.373) em agosto para 28% (54.350) em setembro. Já na variação anual, a retração foi de 2,4 pontos percentuais, quando, na época, atingia 30,4% (58.282). 

Para as famílias que declararam não terão condições de pagar as contas, se tornando inadimplentes, houve redução de 0,4 ponto percentual de um mês para o outro e chegou a 18,4% (35.784). Ainda assim, o patamar atual ficou 1,4 ponto percentual maior do que o registrado em setembro do ano passado, quando atingia 17% (32.706) das famílias.

Situação das dívidas 

O endividamento da família é causado, principalmente, pelo uso do cartão de crédito, que atingiu 68,8% em setembro. Em segundo vem os carnês, com 35,9% e atrás vem o financiamento de carro (9,3%) e de casa (8,3%). A recuperação do crescimento econômico, mesmo que lenta, possibilitou os bancos liberar mais crédito para o consumidor, tanto é que, no mesmo período do ano passado, esse tipo de dívida compreendia 59,3% das famílias entrevistadas.

O tempo comprometido com dívidas ficou praticamente estável de um mês para outro, de 6,5 meses em agosto para 6,6 meses em setembro. A pesquisa mostrou queda se comparado com o setembro de 2017, quando as famílias passavam, em média, 7 meses pagando contas parceladas.

Entre os endividados, a parcela da renda comprometida aumentou de 16,3% em agosto para 16,7% no mês seguinte. Ainda assim, o percentual atual é bem inferior do que o registrado no mesmo mês de 2017, que compreendia 24,8% da renda familiar. 

Recuperação da economia

A Fecomércio-MT acredita que a melhora nos indicadores de endividamento e inadimplência do consumidor nos últimos anos é reflexo do processo de recuperação da economia, com o aumento do emprego e queda nas taxas de juros e inflação. A insegurança, política e econômica, ainda contribui para um ritmo lento da recuperação do consumo das famílias e na contratação de novos empréstimos e financiamentos.

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.80.87.166) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=35132 ORDER BY id DESC