conecte-se conosco


Cuiabá

Grupos de Siriri intensificam ensaios na semana do Festival

Publicado

Enquanto não chega o dia da abertura oficial do 13º Festival de Siriri, sexta-feira (17), no Espaço Liu Arruda, no Museu do Rio, os apaixonados pela tradição podem acompanhar os ensaios de grupos que participarão do evento. Para esta edição, oito grupos foram selecionados, de acordo com sua história.

Neste contexto, o secretário de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo explica que dentre os quesitos analisados, a pasta considerou os anos dedicados à cultura do Siriri. Sendo assim, a proposta é fazer a retomada das origens do festival e unir seus aspectos às comemorações do tricentenário da Capital.

“O Siriri nunca foi tão valorizado como agora. Isso ficou evidente no 18° Festival de Büyukçekmece, na Turquia, onde o grupo Flor Ribeirinha consagrou-se campeão Mundial de Folclore, levando a beleza das cores, do ritmo, do canto e da dança da nossa cultura para encantar o mundo”, diz Vuolo.

O tradicional Festival acontecerá por determinação do prefeito Emanuel Pinheiro, durante três dias do mês de maio – 17, 18 e 19 -, no Espaço Liu Arruda, no Museu do Rio. Os participantes são: Flor Ribeirinha, Flor do Campo, Flor do Atalaia, Flor do Cerrado, Raízes Cuiabanas, Coração Franciscano, Voa Tuiuiú e São Gonçalo Beira Rio.

Leia Também:  Prefeito reafirma parceria com o Banco do Brasil na execução de projetos em benefício da população cuiabana

Ao longo da semana, os inscritos intensificaram a rotina dos ensaios e receberão consultoria do diretor artístico e coreógrafo do Flor Ribeirinha, Avinner Augusto. O grupo será o único dentre os escolhidos que não concorrerá. De acordo com ele, os encontros são abertos à população.

Confira a agenda:

Terça

Flor do Campo 19h30 às 22h30.

Quarta

Flor Ribeirinha 20h às 23h

Quinta

Tradição Coxipones

19h as 20h30

Coração Franciscano

21h30 às 23h.

Mais informações sobre os horários e locais podem ser obtidas por meio do contato do diretor: 65 99234 7699

Confira a programação completa do Festival:

 

8bb60218-183a-40b3-a197-59d1f5cb83fc.jpg

 

 

 

Fonte: Prefeitura de Cuiabá
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Cuiabá

Parque Cuiabá ganha faixa elevada por indicação do vereador Misael

Publicado

Por meio de indicação do vereador Misael Galvão (PSB), a Avenida Quatro do Bairro Parque Cuiabá, recebeu mais uma faixa de pedestre elevada. A obra atende uma reivindicação antiga dos moradores da região e visa garantir mais segurança dos pedestres ao atravessar a via pública.
“O nosso gabinete realiza trabalho nos bairros de Cuiabá, e por meio de nossa indicação aprovada em plenário, a Prefeitura executa os serviços. A faixa elevada foi instalada e vai dar segurança na travessia dos moradores que transitam naquele local, ali era risco constante de acidente, e o local não tinha nenhum tipo de sinalização para o pedestre. Agora, com a faixa elevada, todos poderão transitar tranquilos”, pontua o parlamentar.
Misael ainda ressalta a importância da comunicação entre os munícipes e os parlamentares. “Além de colocarmos nossos assessores parlamentares na rua que é o seu papel na comunidade para atentar a população, é muito importante que cada um tenha a liberdade de vir até a Câmara fazer sua indicação diretamente”, finalizou.

Câmara Municipal de Cuiabá

Leia Também:  Mais de 700 pessoas participam da 13ª Conferência Municipal de Saúde

Imprimir Voltar Compartilhar:  

Fonte: Câmara de Cuiabá
Continue lendo

Cuiabá

Bussiki recebe apoio a projeto para proibir fogos de artificio com estampido

Publicado

Afetados diretamente com o barulho causados pelos fogos de artifício, pais de filhos autistas e que recebem tratamento em casa, tipo homecare, estiveram na Câmara Municipal de Cuiabá nesta terça-feira (14) para pedir a aprovação do projeto de lei do vereador Marcelo Bussiki (PSB), que proíbe a queima e a soltura de fogos de artifício que produzam estampido em Cuiabá.
O projeto também proíbe o manuseio e a utilização desses fogos ou artefatos pirotécnicos, sob pena de punição àqueles que descumprirem o estabelecido, sejam pessoas físicas, sejam jurídicas. A intenção do projeto é evitar o grande barulho causados pelos fogos e que prejudicam as crianças, idosos, autistas e animais, especialmente.
Em defesa do projeto, Juliana Fortes, que possui um filho autista, participou da Tribuna Livre e defendeu a necessidade de aprovação da iniciativa. “O barulho causa um transtorno enorme para os autistas. Eu sou mãe de autista. A gente nem participa de festas que tenham fogos e barulho, pois causa muita irritação. A própria Organização Mundial da Saúde já define que 80 decibéis já causam transtorno no sistema sensorial das crianças autistas”, disse.
O presidente da Associação das Famílias de Homecare, Clebson Santos, também defendeu o projeto e afirmou que a aprovação vai dar mais tranquilidade às famílias cujos membros façam tratamento médico em casa. “É um transtorno. Eles ficam muito agitados, o que prejudica muito no tratamento deles. Por isso é muito importante a aprovação do projeto, para que essas pacientes tenham uma qualidade de vida melhor”, afirmou.
O vereador Marcelo Bussiki lembrou que as recomendações da Organização Mundial da Saúde apontam que sons com mais de 55 decibéis já podem estressar e prejudicar a saúde. Inclusive, sons acima de 85 decibéis podem ser suficientes para causar a perda da audição, especialmente quando acima de 120 decibéis.
Bussiki destacou que o projeto proíbe apenas os fogos com estampido. Desse modo, caso haja a aprovação do projeto, continua sendo permitido o uso dos chamados fogos de vista, que são aqueles que possuem apenas efeitos visuais.
“O presente projeto de lei não tem como objetivo acabar com os espetáculos e festejos realizados com fogos de artifício. Apenas quer proibir que sejam utilizados artefatos que causem barulho, estampido e explosões, causando risco à vida humana e dos animais”, garantiu.
O projeto chegou a ser colocado para votação no plenário durante a sessão desta terça-feira (14), contudo, não foi votado devido a um pedido de vista do vereador Chico 2000 (PR). “Gostaria de requerer vista desse processo, em razão de que o parecer da comissão de Justiça é pela rejeição, mas existe observações que gostaria de fazer”, disse.
Apesar do parecer pela rejeição, Bussiki afirmou que não há inconstitucionalidade na matéria e que espera que os vereadores apoiem a iniciativa. “Acredito que meus colegas vereadores vão entender a importância desse projeto e me apoiar para sua aprovação. Será uma lei muito importante e que já vigora em várias cidades do país, sem prejuízo algum”, encerrou.

Karine Miranda | Assessoria Vereador Marcelo Bussiki

Leia Também:  Misael Galvão sugere cronograma para regularização fundiária em Cuiabá

Imprimir Voltar Compartilhar:  

Fonte: Câmara de Cuiabá
Continue lendo
ouça ao vivo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana