SELECT p.*, IF(LENGTH(fotos)>10,0,(SELECT id FROM w229_post_fotos WHERE post=p.id ORDER BY principal DESC, id LIMIT 1)) AS fotoGal FROM w229_post AS p WHERE p.id=37204 LIMIT 1
O Documento - O legado de Chico Mendes, 30 anos depois de seu assassinato

ACRE

O legado de Chico Mendes, 30 anos depois de seu assassinato

Por: Helena Borges
Fonte: O Globo
Legado em risco: assassinato do ecologista Chico Mendes completa 30 anos sob ameaças às reservas extrativistas, sua principal bandeira
Legado em risco: assassinato do ecologista Chico Mendes completa 30 anos sob ameaças às reservas extrativistas, sua principal bandeira

Há exatos 30 anos, o Brasil perdia um dos maiores defensores do meio ambiente: Chico Mendes. Em uma tragédia anunciada, o então presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri, no Acre, foi assassinado no quintal de sua casa, no dia 22 de dezembro de 1988, a mando de um fazendeiro.

Mais de 500 defensores dos direitos humanos e ambientalistas se reuniram ao longo dos últimos sete dias na “Semana Chico Mendes”, organizada pelo comitê que leva o nome do ecologista. Filha do homenageado, Angela Mendes conta que o clima foi de confraternização, mas diz que há o receio de uma ameaça ao legado de seu pai, que criou o conceito de reserva extrativista, hoje replicado em diversos formatos e locais do país.

“Nos últimos tempos temos sofrido com prejuízos e retrocessos, como cortes em setores que nos protegem”, lembra Angela Mendes, filha mais velha de Chico e membro do Comitê Chico Mendes.

Chico Mendes foi morto com tiros de espingarda disparados por Darcy Alves da Silva, a mando do fazendeiro Darly Alves da Silva, pai de Darcy. Uma semana antes, ele denunciou à imprensa que tinha recebido ameaças de morte.

Em dezembro de 1990, depois de um julgamento que durou quatro dias, os assassinos foram condenados a 19 anos de prisão. Após cumprirem suas penas, os dois voltaram a viver em Xapuri, mesma cidade onde vivia Chico.

Angela afirma considerar que a maior parte da população, principalmente urbana, ainda não entende o conceito de área reservada e que, por isso, há resistência à proteção dos espaços. Uma reserva extrativista é uma área da União onde vivem populações tradicionais cuja sobrevivência se baseia no extrativismo, na agricultura de subsistência e na criação de animais de pequeno porte.

Tem como objetivos básicos proteger os meios de vida e a cultura dessas populações, assegurando assim o uso sustentável dos recursos naturais da unidade. A terra de uma reserva é de domínio público, com uso concedido às populações tradicionais.

“Chico criou um modelo de território de uso coletivo que ainda não se pensava em criar no Brasil. Seu grande legado é conciliar a qualidade de vida com a proteção da floresta. Sabemos que hoje ainda existem mais 150 reservas a serem criadas, muito a ser protegido, no entanto a gente teme que, além de não serem criadas novas, possamos perder o que já se conquistou”, preocupa-se Angela.

Conexão entre jovens

“A gente tem acompanhado levantamentos que mostram que os jovens da floresta ainda têm alto grau de satisfação (80%) de estar na reserva. Quando você vai para o Cerrado e para o Nordeste, isso é menor. Temos trabalhado com os jovens para que eles tenham acesso a energia elétrica e tecnologias de comunicação. Essas duas políticas públicas são estratégicas para a juventude permanecer próxima de suas raízes e que possam assumir esse “bastão” da proteção”.

Durante a semana, jovens leram um dos textos mais famosos de Chico Mendes: uma carta endereçada ao “Jovem do futuro”, datada para entrega no ainda longínquo dia 6 de setembro de 2120.

Outro desafio ao legado é manter suas ideias vivas, opina Joaquim Belo, presidente do Conselho Nacional dos Seringueiros, organização criada por Chico Mendes. Com três décadas de distância, duas novas gerações de jovens membros de “povos das florestas” já nasceram e só conhecem o ambientalista pelos livros de História ou pelo que ouvem.

“Os eventos desta semana foram importantes para juntar o pessoal que viveu com Chico para contar suas experiências, assim as demais gerações se situam no espaço em que vivem”.

Apesar de relatar que há grande pressão para que populações tradicionais deixem as reservas, Belo explica que há um esforço para que os jovens possam manter a conexão com a cultura tradicional de onde vivem.

 

 

 

 

Comentários

Atenção! Seu comentário é de sua inteira responsabilidade.
O site "O Documento" é livre para rejeitar comentários ofensivos, com linguajar de baixo calão, denúncias sem evidências e outros que julgar inapropriados. Mesmo que o seu comentário seja aprovado pela nossa equipe, a responsabilidade sobre ele continua sendo sua.
O IP da sua conexão (54.243.17.113) será armazenado e disponibilizado às possíveis vítimas caso este espaço seja utilizado para atingir a honra ou prejudicar a imagem de alguém.
Enviar
    SELECT id,nome,email,comentario,i_cadastro,positiv,negativ,aprovado FROM w229_post_coment AS t WHERE aprovado>=0 AND post_id=37204 ORDER BY id DESC
  • 0
    5
    Autor:
    Primeiro e saber da verdade e depois noticiar ou elaborar um texto tão pobre e claro fantasioso como este.O filho nunca foi contratado pelo pai para assassinar o sindicalista,os três viviam e uma demanda onde o que todos da região tinham conhecimento e o então Chico Mendes não satisfeito foi até o Paraná e buscou o levantamento de um processo dos Alves para fazer pressão ( segundo comentários) da época em Rio Branco e Xapuri .Tem muita coisa envolvida nesta história ,desde interesses internacionais e referente ao assassinato o então nanico partido PT juntamente com cantores e atores e claro com o seu mentor e líder pegaram carona na história e fizeram deste acontecimento um trampolim para que o PT se fortalecesse na região norte do Brasil.Reiao esta que em 1988 não tinha tal apelo político,depois desta glamorosa e midiática aparição o PT conseguiu transformar pequenas lideranças e políticos nacionalmente conhecidos e claro transformando o Acre em uma dinastia petista .O sindicalista morto foi para o PT uma falsa bandeira ,claro que nada justifique tal barbárie .Mas a verdadeira história e totalmente diferente deste esteriótipo vinculado e defendido por uma mídia sarcástica e mentirosa sem falar manipuladora.