conecte-se conosco


Esportes

Diretoria do CSA vende mando de campo contra o Flamengo e desagrada torcida

Publicado


csa brasileirão 2019
GUIDO JR./Fotoarena/Agência O Globo

aa

A discussão envolvendo venda de mando de campo no futebol voltou à tona na tarde desta terça-feira (14). A diretoria do CSA anunciou durante entrevista coletiva que a partida contra o Flamengo, pela nona rodada do Brasileirão, não acontecerá em Maceió.

Leia também:  TV Globo ‘dá o troco’ no Palmeiras e coloca jogos da Copa do Brasil no PPV

De acordo com o presidente do CSA , Rafael Tenório, a partida entre as duas equipes acontecerá no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

“Para o bem do CSA, temos a necessidade de fazer a venda do jogo contra o Flamengo. Então, nós vamos fazer o jogo em Brasília no dia 12 de junho. Tudo nosso aqui é muito planejado, muito discutido”, comentou.

A justificativa de Tenório é que a equipe de Alagoas precisa de recursos e pensa em vender jogos contra grandes equipes da Série A para obter mais aporte financeiro ao clube. “Todo mundo vende o mando. O CSA não é diferente”, disse.

Segundo o regulamento do Campeonato Brasileiro Série A , um time pode vender até cinco mandos de campo durante a temporada. Além da partida contra o Flamengo, o CSA pode vender o mando contra o Corinthians, no segundo turno do Brasileirão, de acordo com informações do Globoesporte.com.

Leia Também:  Flamengo veta expressão ‘festa na favela’ em suas redes sociais

A notícia não foi bem recebida pelos torcedores que reclamaram nas redes sociais.

Leia também:  Clubes poderão usar estádios do Copa América até a 8ª rodada do Brasileirão

O que você pensa sobre a venda de mando de campo do CSA no Brasileirão? É justificável pelas disparidades financeiras entre os clubes? Prejudica os torcedores? É uma prática corriqueira? Vote na enquete abaixo.

Leia Também:  Grêmio bate a U. Católica e avança às oitavas de final da Libertadores

Fonte: IG Esportes
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Esportes

São Paulo e Bahia ficam no empate sem gols em jogo ruim no Morumbi

Publicado

Tricolor paulista criou poucas oportunidades e fez seu pior jogo no Brasileirão

Lance! Cuca costuma dizer que prefere desempenho a resultado nas primeiras rodadas do Brasileirão. Jogando bem, o time provavelmente somará pontos suficientes para se manter no pelotão de frente e, mais importante, ganhará corpo e confiança para os momentos mais agudos da competição, quando, aí sim, pode ser preciso vencer partidas “na marra”. Neste contexto, o empate sem gols com o Bahia na manhã deste domingo até poderia ser aceitável, desde que o time tivesse feito um bom jogo. Não foi o caso.

Essa foi, sem dúvida, a pior atuação do São Paulo em cinco rodadas de Brasileirão. Isso se não tiver sido a pior atuação desde a chegada de Cuca, que está à frente da equipe há oito partidas. E com os dois jogadores de quem a torcida mais espera, Pato e Hernanes, começando juntos pela primeira vez.

O primeiro tempo do São Paulo se resumiu a um chute mascado de Antony que bateu na trave direita do goleiro Douglas. Hernanes e Pato se posicionavam entre os zagueiros e se revezavam na tentativa de buscar jogo com Tchê Tchê e Liziero, em uma estratégia que não deu certo diante de um adversário muito fechado e muito disciplinado taticamente. Para piorar, Liziero torceu o tornozelo e saiu logo aos 13 minutos. Luan, que entrou em seu lugar, quase nunca aparece como um armador, o que deixou o time um pouco mais travado. Era preciso mais Pato, mais Hernanes, mais Antony, mais Toró… Mas nenhum deles conseguia entrar no jogo. As individualidades não funcionavam.

Leia Também:  Libertadores: Palmeiras visita o Melgar em busca da vaga nas oitavas

Cuca mudou no intervalo. Tirou Pato (talvez fosse melhor mantê-lo em campo e afastá-lo da área, onde rende mais), passou Toró da esquerda para o comando de ataque, colocou Helinho aberto pela direita (depois pela esquerda) e inverteu Antony para a esquerda (depois de novo para a direita). Hernanes passou a buscar mais a bola, como armador, e consequentemente a participar mais do jogo. Mas, tecnicamente, não foi o dia do Profeta. Ele errou demais, não conseguiu fazer associações com Tchê Tchê – que invertia com Hudson e ia para a lateral em diversos momentos, tentando dar mais jogo ao time pelo lado, também sem eficácia.

A última cartada foi a entrada de Nenê no lugar de Hernanes, possivelmente uma aposta na capacidade do camisa 10 de cair também pelas beiradas, abrindo a defesa baiana (talvez Igor Gomes tivesse sido uma opção melhor, por ser mais dinâmico e até mais incisivo). Mas logo o VAR entrou em ação para expulsar Toró por um pisão aparentemente involuntário no ombro do goleiro Douglas, e o São Paulo se desmantelou de vez.

Leia Também:  Flamengo veta expressão ‘festa na favela’ em suas redes sociais

A partir da expulsão, o Tricolor não teve organização nenhuma para atacar e viu o Bahia ficar mais perto da vitória. Até a saída de bola perdeu a lógica, com chutões de Volpi e algumas bolas na fogueira dos jogadores de defesa. O Morumbi se calou até o apito final, quando voltou a subir o volume para vaiar o time com justiça.

São Paulo e Bahia voltam a se enfrentar na quarta-feira, às 21h30, novamente no Morumbi, dessa vez pelas oitavas de final da Copa do Brasil. O time de Cuca precisará de muito mais alternativas para superar os comandados de Roger Machado, que provavelmente apostarão de novo no ferrolho à frente da área.

Continue lendo

Esportes

Mudado, Luverdense encara o Tombense-MG neste sábado e busca primeira vitória

Publicado

JORGE MACIEL

LEC busca primeira vitória, após quatro rodadas da Série C

O técnico Júnior Rocha fará, ao menos, três mudanças no confronto direto do Luverdense ante o Tombense neste sábado, às 16 horas, no Estádio Antônio Guimarães de Almeida, em Tombos, pela 4ª rodada da Série C do Campeonato Brasileiro. Os mato-grossenses amargam a lanterna do Grupo B com um ponto, a mesma pontuação dos mineiros, na penúltima colocação.

“Para esse jogo vai entrar o Everton, vai entrar o Douglas e o Balbino. São três alterações, mas os jogadores já estão adaptados, eles vêm treinando bem. Não posso desmanchar tudo, pois não está tudo errado e sim, ter um pouco de sorte em alguns momentos dos jogos, de mais atenção, concentração para que nos detalhes consigamos vence os jogos”, disse o comandante.
O Luverdense já está em solo mineiro e realizará seu último treinamento nesta sexta-feira. E para o treinador, quanto mais seu time trabalhar, mas sorte terá na divisão.
“A gente vem criando (oportunidades), mas infelizmente a bola não vem entrando. Mas é o que eu falo para eles (jogadores), eu sei que falta um pouquinho de sorte em alguns momentos, porém, quanto mais a gente trabalhar, mais vamos atrair essa sorte. (…) A gente cria oportunidade, tem o domínio do jogo, mas nesses últimos jogos fomos punidos com alguns lances que comprometeram o resultado final”, ponderou ele.
O Luverdense, além de estar na lanterna e em busca da primeira vitória, também sonha com o primeiro gol. São três tentos tomados e nenhum marcado.
“O que nós temos que fazer é se fechar mais. Todas as equipes oscilam no futebol brasileiro. Começamos o campeonato oscilando e temos que buscar nos fortalecer, reinventar e ir pra cima buscar a vitória fora de casa. Já que não conseguimos aqui, vamos buscar os três pontos fora”, finalizou.
O Luverdense deve ir a campo com Edson; Da Silva, Hélder (Lucão), Everton e Balbino; Moises, Abu, Kauê e Juninho Tardelli; Douglas e WIlson Júnior.

Leia Também:  Jogador é preso após pisar na cabeça de rival durante partida de futsal; assista
Continue lendo
ouça ao vivo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana