conecte-se conosco


Política Nacional

Dia do Contabilista é comemorado em sessão solene

Publicado

A Câmara dos Deputados comemorou hoje (22) o Dia do Contabilista, celebrado todo 25 de abril há 82 anos. Em discurso lido no Plenário, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, destacou a missão e o dinamismo da categoria. “No dia a dia do seu trabalho, os contabilistas colaboram com as pessoas físicas e empresas para gerir de forma segura e correta a vida fiscal”. Maia acrescentou que a contabilidade mudou com o uso da tecnologia e tornou-se mais eficiente e necessária.

Michel Jesus/ Câmara dos Deputados
Homenagem ao Dia do Contabilista
Dia do Contabilista é celebrado em 25 de abril

O deputado Hildo Rocha (MDB-MA), autor do requerimento para a realização da sessão solene, disse que hoje há mais de 500 mil profissionais contabilistas e técnicos em todo o país. Ele mencionou a importância de o profissional manter-se atualizado tanto no conhecimento das leis como dos números, e acentuou a relevância dos contadores para o combate à corrupção e uso responsável dos recursos públicos e privados. “Se queremos desenvolvimento econômico e integridade, é tempo de valorizar o oficio dos profissionais de contabilidade”, frisou.

Leia Também:  Projeto elimina critério racial das cotas de universidades e institutos federais

O representante do Instituto dos Auditores Fiscais Independentes do Brasil (Ibracon), Francisco Antonio Maldonado Sant’Anna, apontou a importância da atuação e responsabilidade dos auditores independentes. Ele disse ser necessário divulgar os princípios contábeis aplicados ao setor público para que seja possível avaliar de maneira mais objetiva os dados e a gestão pública. “Isso vai propiciar que gestores públicos possam fornecer para a sociedade mecanismos de acompanhamento de orçamentos”, explicou.

Vice-presidente do Conselho Federal de Contabilidade, Joaquim de Alencar Bezerra Filho relembrou a história das entidades da categoria, que teve início em 1869, e citou a regulamentação da profissão, em 1946, como um momento marcante. “Desde o século XIX, portanto, a nossa profissão vem construindo seu legado, trabalhando e progredindo junto com o Brasil”, concluiu.

Fonte: Agência Câmara Notícias
publicidade
1 comentário

1
Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
0 Comment authors
Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
trackback

[…] A autoridade será composta por Conselho Diretor, órgão máximo de direção; Conselho Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade; Corregedoria; Ouvidoria; órgão de assessoramento jurídico próprio; unidades administrativas e unidades especializadas.Leia Também:  Dia do Contabilista é comemorado em sessão solene […]

Política Nacional

“Avisei meus seguranças: o Sistema vai me matar”, escreveu Bolsonaro em grupos de WhatsApp

Publicado

A mensagem foi revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo e a autoria confirmada pelo porta-voz da Presidência

Agência Brasil – O presidente Jair Bolsonaro afirmou nessa sexta-feira (17), em nota lida pelo porta-voz do Palácio do Planalto, Otávio Rêgo Barros, que a mudança na forma de governar o Brasil não tem agradado a grupos que, no passado, se beneficiaram do ele chama de “relações pouco republicanas”.

“Venho colocando todo meu esforço para governar o Brasil. Os desafios são inúmeros e a mudança na forma de governar não agrada aqueles grupos que, no passado, se beneficiaram das relações pouco republicanas. Quero contar com a sociedade para juntos revertermos essa situação e recolocarmos o país de volta ao trilho do futuro promissor. Que Deus nos ajude”, disse Bolsonaro na declaração lida por Rêgo Barros a jornalistas.

A declaração foi uma resposta ao vazamento de uma mensagem do próprio presidente Bolsonaro enviada a grupos de WhatsApp dos quais ele faz parte. Na mensagem, revelada pelo jornal O Estado de S. Paulo, o presidente compartilha um texto assinado por um “autor desconhecido”, em que o principal argumento é o de que o país é governado “exclusivamente para atender aos interesses de corporações com acesso privilegiado ao orçamento público”. Segundo este texto, o Brasil seria uma país “ingovernável” fora de “conchavos”.

Leia Também:  CPI de Brumadinho ouve funcionários da Vale na próxima semana

O Palácio do Planalto confirmou que o texto em questão foi realmente distribuído pelo presidente em grupos de WhatsApp. Ao distribuir a mensagem, o presidente classifica o texto como “no mínimo interessante” e ainda escreve: “Em Juiz de Fora (06/set/2018), tive um sentimento e avisei meus seguranças: ‘essa é a última vez que me exporei junto ao povo. O Sistema vai me matar’. Com o texto abaixo cada um de vocês pode tirar suas próprias conclusões”. Em seguida, ele teria pedido para que o material fosse compartilhado.

Ex-prefeito de NY

O porta-voz do governo também informou que o presidente Bolsonaro recebeu, durante a tarde, a ligação do ex-prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani, que governou a maior cidade dos Estados Unidos entre 1994 e 2001. Segundo Rêgo Barros, o ex-prefeito parabenizou o presidente brasileiro e prometeu visitar o país em breve.

“O prefeito Giuliani desculpou-se pela indelicadeza do atual prefeito de Nova York, parabenizou o presidente da República Jair Bolsonaro, pela vitória, e pela condução do governo, e se predispôs a nos visitar em breve”, disse.

Leia Também:  Recurso para ciência e tecnologia não é despesa, é investimento, defende ministro na CCT

Continue lendo

Política Nacional

Previdência: série de reportagens mostra impactos da reforma

Publicado

Selo_ReformaPrevidencia2.jpgA Agência Senado encerrou nesta semana uma série de reportagens especiais sobre os impactos da proposta de reforma da Previdência. Até esta quinta-feira (16), as matérias já haviam tido mais de 415 mil visualizações.

Em oito reportagens, a série mostrou os pontos centrais da proposta. Explicou as mudanças previstas nas aposentadorias de trabalhadores urbanos e rurais e de funcionários públicos, nas aposentadorias especiais e por invalidez, na pensão por morte e no Benefício de Prestação Continuada (BPC). Uma reportagem sobre as dúvidas em relação ao sistema de capitalização, previsto na reforma, encerrou a série. As mudanças na previdência dos militares também foram tema de reportagem.

Enviada pelo governo de Jair Bolsonaro ao Congresso, a proposta (PEC 6/2019) está em análise na Câmara dos Deputados. Uma comissão especial de senadores acompanha a tramitação do texto na Câmara.

Veja as reportagens da série

Congresso volta a encarar desafio de mudar a Previdência
Tempo de contribuição e idade mínima são pilares da reforma da Previdência
Reforma da Previdência cria contribuição mínima para trabalhadores do campo
Previdência dos servidores terá regras mais duras com reforma
BPC é um dos pontos polêmicos da reforma da Previdência
Reforma da Previdência altera regras para aposentadorias especiais
Reforma da Previdência reduz valor de pensão por morte e aposentadoria por invalidez
Capitalização prevista na reforma da Previdência provoca incertezas

Veja o que pode mudar para os militares

Reforma da previdência militar gerará economia de R$ 10 bi em uma década
Leia Também:  Kajuru defende aprovação de PEC que torna Fundeb permanente

Fonte: Agência Senado
Continue lendo
ouça ao vivo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana