conecte-se conosco


Cuiabá

Câmara realiza sessão em homenagem ao Centenário do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso

Publicado

Entidade fundada por Dom Aquino Correa é reconhecida por um século de trabalho em prol da preservação da memória, história e geografia de Cuiabá e Mato Grosso.
Uma sessão solene proposta pelos vereadoresLuiz Claudio (Progressista) e por Toninhode Souza (PSD), hoje deputado estadual, comemorou os 100 do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso (IHGMT). A sessão foi realizada na manhã desta quarta-feira (15), no plenário da Câmara de Vereadores de Cuiabá.
Para o vereador Luis Cláudio, que presidiu a sessão, o momento foi uma homenagem de reconhecimento a centenária e pioneiraentidade que vem preservando, de maneira exemplar, o patrimônio histórico, geográfico,
cultural e de ciências sociais no estado. Disponibilizando, ainda, seu acervo à população e a pesquisa.
“Não poderíamos deixar passar em branco o centenário desta importante entidade criada em 1919 por Dom Aquino Correia. E desta sessão especial nasce um projeto de parceria entre a Câmara de Vereadores e o Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso para fazermos a nomenclaturade ruas e escolas com nomes de personalidades importantes da nossa história que ainda não foramhomenageados, personagens que merecem o nosso reconhecimento. Também queremos estimular a inclusão no currículo escolar da Geografia e História de Mato Grosso criando, ao mesmo tempo, um programa de visitação dos nossos estudantes municipais, não só ao Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, mas aos museus e outros espaços culturais da cidade. Pois conhecer nossa história, nossa cultura, nossa literatura é um passo importante para conquista da cidadania”, enfatizou o vereador Luis Cláudio.
A sessão solene contou com a participação de artistas e autoridades acadêmicas e políticas, como o Secretário de Estado de Cultura Allan Kardec e a presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, professora e escritora Elizabeth Madureira Siqueira, que na ocasião foi agraciada com Título Honorífico Ordem do Mérito Cuiabá 300 anos. Em seu discurso a professora afirmou que homenagem recebida pela Câmara de Vereadores é o reconhecimento à uma entidade que luta há um século para preservar e destacar a importância de Cuiabá e de Mato Grosso como marco Histórico e Geográfico de desenvolvimento e expansão da Brasil, desde os tempos coloniais. “Uma história repleta de heróis, personalidades e acontecimentos, um acervo inestimável queprecisa ser preservado, conhecidas e pesquisado pelas novas gerações”, destacou Elizabeth Madureira.
Representando o Governador Mauro Mende, o Secretário de Estado de Cultura,Allan Kardec, enalteceu a iniciativa dos vereadores Luis Claudio e Toninho de Souza em homenagem ao centenário do IHGMT. E disse que o Governo Estadual está aberto as iniciativas que visam promover a história, a geografia e a literatura de Mato Grosso e que trabalhará, também, para incluir o ensino destas disciplinas na grade curricular das escolas.

Paulo Wagner | Assessoria Vereador Luís Cláudio

Leia Também:  “Moção de Aplausos a imprensa é a forma de homenagear o Dia do Jornalista enfatiza “vereador Clebinho

Imprimir Voltar Compartilhar:  

Fonte: Câmara de Cuiabá
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Cuiabá

Prefeito garante regularização das unidades municipais de ensino

Publicado

O ato foi firmado nesta segunda-feira, com o Conselho Municipal de Educação (CME)

Com o objetivo de garantir a regularização do funcionamento e das certificações emitidas pelas escolas municipais, o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, assinou na segunda-feira (20), o Termo de Compromisso Mútuo com o Conselho Municipal de Educação (CME). O ato é um procedimento fundamental para a viabilização dos documentos de credenciamento e autorização para as 163 unidades educacionais municipais.

Conforme a Resolução nº 002/02, o credenciamento é o ato de cadastrar as instituições para oferecimento da Educação Básica. Já a autorização, trata-se do mecanismo pelo qual o Conselho emite a permissão para o funcionamento dos cursos, por tempo determinado. Acontece que, segundo o presidente do CME, Luiz Batista Jorge, há cerca de 15 anos, tais medidas não eram efetuados.

“Essa foi uma demanda que o presidente Luiz Jorge nos trouxe e, a partir disso, determinei ao secretário Alex Vieira Passos que desse prioridade para a situação. Era uma situação que poderia acarretar em sérios problemas nos estudos dos nossos alunos. Por exemplo, se a criança fosse mudar de nível ou, futuramente, entrar em uma faculdade e em seu histórico escolar a unidade não possuísse essas habilitações, todo seu estudo não teria legalidade”, comentou o prefeito Emanuel Pinheiro.

Segundo o Termo de Compromisso, a partir da assinatura, a Secretaria Municipal de Educação tem o prazo de 24 meses para encaminhar ao Conselho os documentos necessários para efetivação dos atos de credenciamento e autorização. Durante esse período, o CME deve realizar uma atualização e renovação emergencial, enquanto o Município adequa as pendencias de forma definitiva.

“O que estamos fazendo é reunir esforços para tomar as providências necessárias e sanar, de forma concreta, uma situação que perdura há anos. É um trabalho em conjunto, feito com seriedade e compromisso, no qual cada instituição atua dentro de seu âmbito. O que queremos é garantir toda a tranquilidade para que nossos alunos continuem com seus estudos e não sejam prejudicados por questões que fogem de suas responsabilidades”, destacou o secretário de Educação, Alex Vieira Passos.

O presidente do Conselho, Luiz Jorge, explicou que as habilitações abrangem um contexto físico, logístico, documental e pedagógico das unidades educacionais. Ele contou ainda que o Termo de Compromisso é o resultado de várias reuniões feitas com a equipe da Secretaria Municipal de Educação, visando dar o andamento efetivo as ações que assegurem a legalidade aos estudos dos mais de 54 mil alunos da rede municipal de Cuiabá.

“Infelizmente, todo esse quadro se construiu pelo simples fato do não encaminhamento desses processos para o Conselho Municipal de Educação. Dentro das nossas discussões e decisões do plenário do Conselho, decidimos que teríamos que encontrar uma solução. Não podíamos simplesmente ignorar essa fato. Passamos então a buscar soluções, chamamos a Secretaria de Educação para conversar conosco e chegamos a esse consenso”, pontou Luiz Jorge.

Leia Também:  Prefeitura de Cuiabá dá início à Campanha Nacional de Vacinação contra Influenza nesta terça
Continue lendo

Cuiabá

Com nota máxima em todos os quesitos, Flor do Campo é campeão do 13º Festival de Siriri

Publicado

Em noite de expectativas altas e ânimos acirrados participantes das oito comunidades concorrentes se reuniram no Museu do Rio para torcer juntos

“É dgente de quem? Dgente de dona Matilde!” O enredo garantiu nota máxima em todos os seis quesitos avaliados e sagrou o grupo Flor do Campo como o campeão do 13º Festival de Siriri de Cuiabá, na segunda-feira (20). O trabalho do grupo ganha tom atual com o complemento do tema: “Das ruínas a igreja de são Benedito, de Tereza a dona Matilde, melodiado por Clara Nunes, a mulher negra insiste e persiste em cultivar sua cultura, resistências para cantar, e o siriri poder dançar!”.

Em noite de expectativas altas e ânimos acirrados, participantes das oito comunidades concorrentes se reuniram no Museu do Rio para torcer, enquanto aguardavam o resultado da apuração dos votos dos jurados. As avaliações foram feitas durante as apresentações, no sábado (18) e domingo (19) e consideram seis critérios principais: composição, figurino/adereço, figura lendária, execução instrumental, interpretação e coreografia.

Os 12 jurados são músicos, artistas e estudiosos da cultura popular, pessoas de notório saber e efetiva militância no campo de arte popular. Além disso, não têm vínculos com qualquer inscrito.

Enquanto recebia os parabéns a fundadora do Flor do Campo, Matilde da Silva, contou que o grupo existe desde 1982 e que por anos participou do Festival, interrompido em 2013. O retorno do festival foi uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro. “A gente lutou muito, fizemos tudo que podia ser feito para dar o melhor ao público. Agora, com a premiação, vamos investir nas próximas apresentações e comemorar nossa vitória”, afirmou.

Leia Também:  Penitenciária Ana Maria do Couto May recebe doação de 300 livros

Ao todo, foram entregues R$ 34 mil divididos pelos oito grupos, sendo R$ 7 mil para os 1º e 2º lugares (Flor do Campo e Coração Franciscano); R$ 5 mil para os 3º e 4º lugares (Flor Serrana e Voa Tuiuiú); R$ 3 mil para o 5º e 6º lugares (Flor do Atalaia e São Gonçalo Beira Rio); e R$ 2 mil para os 7º e 8º lugares (Raízes Cuiabanas e Tradição Coxiponé).

Para o vice-prefeito da Capital, Niuan Ribeiro, o evento levantou a autoestima dos grupos de siriri. “Para além do espetáculo, os dançarinos e músicos estão sendo recompensados por serem pessoas apaixonadas por nossa terra e que tem o compromisso de levar nossa cultura para frente. Que eles possam investir no que for necessário e que no ano que vem, brilhem ainda mais”, comentou.

O titular de Cultura, Esporte e Turismo, Francisco Vuolo explica que a Pasta já busca por recursos para um pós festival. O objetivo é fortalecer os grupos, a tradição cuiabana e o turismo local. “É importante termos a consciência de que, independentemente da gestão, esse festival não pode parar nunca. Por meio do siriri, a cultura e o turismo ganham um importante fomento”, afirmou.

O Festival é uma realização da Prefeitura de Cuiabá, por meio de Secretaria de Cultura, Esporte e Turismo, e Central de Eventos Cor de Mato. Conta ainda com apoio do Governo Federal, por meio da Secretaria Especial da Cultura – Ministério da Cidadania.

Leia Também:  Usuários do Cras Getúlio Vargas participam de atividade em comemoração aos 300 Anos de Cuiabá

O campeão

O Flor do Campo foi fundado por Dona Matilde, nascida em 06 de março de 1955, e como legítima cuiabana, aprendeu a dançar o siriri ‘desde que se entendeu por gente’ – afirma com orgulho. Surgiu em um dos lugares mais ‘raiz’ de Cuiabá, a Ponte do Coxipó, da vontade de Dona Matilde, juntamente com seus pais, sua irmã e amigos, como os mestres da cultura popular Luiz Marques, Domingas, Antônia e seu Candí – pessoas que na década de 1980 incentivaram a sua criação.

Por sugestão de Seu Luiz, e por morarem mais afastados de Cuiabá, o grupo recebeu o nome de Flor do Campo, que foi acatado por dona Matilde e sua gente. Oficialmente em 08 de março de 1982, brota o que hoje ainda floresce. “O siriri mexe com a gente, é o batuque do tambor que dá movimento, isso é ancestral, por isso precisamos manter, porque é tão difícil continuar a lutar pela tradição.”

Traz como figura lendária o Boi à Serra – representação folclórica tão presente no siriri cuiabano, principalmente como uma brincadeira nas rodas de siriri e que vem sendo passado por várias gerações. Diante desta representação folclórica, o grupo faz uma homenagem ao pantanal mato- grossense, evidenciando-o como uma de nossas maiores riquezas. E assim trazem o boi como o Rei do Pantanal, passando pelas brincadeiras de rodas e a música tradicional do “Boi tá brabo no curral”.

(Com informações da assessoria da Central de Eventos Cor de Mato)

Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana