conecte-se conosco


Meu Pet

A importância da alimentação no tratamento da anemia em cachorros

Publicado

anemia em cachorros ocorre quando há uma redução dos glóbulos vermelhos no sangue, responsáveis por transportar oxigênio para todo o organismo. Esses glóbulos vermelhos são produzidos na medula e, para serem “fabricados”, precisam de ferro, vitaminas e minerais.

Um dos fatores que pode causar anemia em cachorros é uma dieta desbalanceada. Animais alimentados com ‘restos’ de comida, por exemplo, são fortes candidatos. Isso demanda cuidados redobrados com uma alimentação de qualidade e atenção da parte do tutor se o animal está se alimentando adequadamente.


Cachorro comendo
reprodução shutterstock

A alimentação é um fator muito importante no tratamento da anemia em cachorros

Portando, comida só se for prescrita por médico veterinário, balanceada e suplementada. Se optar por oferecer dieta comercial, procure sempre as de melhor qualidade, que também deve ser orientado pelo seu médico veterinário.

Tipos de anemia em cachorros

A anemia em pets não é contagiosa e ocorre por consequência de alguma alteração primária, que pode ser multifatorial. A doença pode ser classificada em hemolítica ou hemorrágica.

No primeiro caso, as causas podem ser variadas, de uma intoxicação alimentar até um processo de autodestruição das células, quando o organismo “entende” que as hemácias são células invasoras. Um exemplo comum são as anemias causadas pelo carrapato ou pulgas contaminados com babesia ou erlichia, acometendo principalmente a série vermelha, destruindo as hemácias e resultando em anemia.

A hemorrágica pode ocorrer após cortes, perfurações ou acidentes graves, quando há grande perda de sangue. Doenças como o câncer, úlcera e problemas gastrointestinais também podem provocar o vazamento de sangue de forma lenta.

“Mesmo não sendo contagiosa, ela pode ser causada por enfermidades infecciosas como a Erquiliosee Babesiosecanina, também conhecida como a ‘doença do carrapato’ e causada pela bactéria Erlichia canis e o protozoário Babesia Canis e que pode levar o pet a óbito, se não for tratada em tempo e corretamente. Por isso a prevenção é a melhor opção”, explica a veterinária Bianca Vale de Oliveira, que atua em nutrologia veterinária, Reiki, fitoenergética, aromaterapia e é fundadora da empresa NamasBicho, em Lavras, Minas Gerais.

Leia Também:  OAB poderá barrar profissionais com histórico de maus-tratos a animais

Leia também: O cachorro com anemia pode estar assim por vários motivos; saiba quais

Sintomas da anemia em cachorros

Por serem muito parecidos com os de outras doenças, os sintomas da anemia não são tão fáceis de diagnosticar. Alguns deles são:

  • Cansaço;
  • Palidez das gengivas;
  • Perda de peso, em consequência da ausência de apetite.

Para diagnosticar corretamente é preciso consultar o médico veterinário, que irá analisar o estado de saúde, verificar se tem febre, examinar gânglios e fazer um exame de sangue detalhado, indicando o volume de glóbulos vermelhos . Também poderá ser solicitado ecografia do abdômen para verificar sangramentos internos e raios-X.

Nos casos de anemia resultante da perda repentina de sangue, ou anemia grave devido a perda crônica de sangue, pode ser necessária a transfusão, para assegurar a sobrevivência do cachorro.


Cachorro deitado e coberto
shutterstock

Cansaço e perda de peso são sintomas da anemia em cachorros


A importância da alimentação no controle e combate a anemia

A Dra. Bianca Vale ressalta que “A alimentação é a chave para que seu pet tenha boa saúde e qualidade de vida”. Animal bem nutrido, garante uma boa resposta imune diante das adversidades.

O cachorro com anemia deve ser tratado com uma dieta específica, para proporcionar as vitaminas e ferros necessários para sua recuperação. Essa dieta não está relacionada com a raça do cão, mas sim seu tamanho e suas necessidades nutricionais.

Leia Também:  Conheça a personalidade de 7 raças famosas de cães de guarda

A anemia canina, devido à sua gravidade, deve ser tratada seriamente, oferecendo nutrientes adequados, como ferro, vitamina B12 e proteínas. “Para que o plano alimentar seja individualizado, com macro e micronutrientes calculados de acordo com cada animal, a dieta deve ser com alimentos naturais, formulados por médico veterinário nutrólogo, que também indicará a suplementação necessária”, destaca Dra. Bianca.

Se o cachorro não foi diagnosticado com uma anemia do tipo hemorrágico, os seguintes nutrientes irão ajudar a recuperar e reequilibrar o organismo:

  • Ferro: ajuda a absorver vários nutrientes dos alimentos.É encontrado principalmente em peixes como sardinhas e salmão, também em fígado bovino e carne de cordeiro.
  • Vitamina C: encontrado em kiwis, laranjas, pimentão, couve-flor, espinafre, entre outros;
  • Proteína: carnes de frango, bovinas, peixes, rãs e alguns tubérculos
  • Vitaminas complexo B: Farinha de arroz, batatas, bananas, coração bovino, entre outros.

O tutor precisa ficar atento com alguns alimentos proibidos para pets . Na vontade de tratar a anemia, poderá incorrer em erros, exagerar na quantidade e colocar em risco a vida do cão. Entre os proibidos estão: uvas, produtos lácteos, cebolas, chocolate, pães, lanches industrializados, bolachas e doces, sementes de maçã. O tutor deve ter em mente que atender ao “olhar pidão” do pet, poderá colocar todo o tratamento a perder.

Para uma formulação correta da dieta natural, que seja direcionada às necessidades do cachorro, com anemia ou saudável, é importante a avaliação do veterinário, realizar os exames corretos e definir o que comer e como fazer a suplementação.

É preciso ter em mente que o tratamento da anemia em cachorros dependerá da causa que originou essa enfermidade e, principalmente, seguir rigorosamente o tratamento prescrito pelo veterinário, para que seu pet tenha uma vida saudável e excelente qualidade de vida.

Fonte: Canal do Pet
publicidade
Clique para comentar

Deixe um comentário

Please Login to comment
avatar
  Subscribe  
Notify of

Meu Pet

Trabalhadores escutam cachorro latindo e encontram animal em perigo

Publicado

Era um dia comum na cidade de Suwałki, na Polônia. Mas tudo mudou quando alguns trabalhadores locais ouviram um cachorro latindo sem parar, como se estivesse pedindo socorro. O pet não parava, e, preocupados, os trabalhadores resolveram tentar descobrir o que estava acontecendo.

Leia também: Conheça as principais diferenças entre Buldogue Francês e Boston Terrier

Essa foi a sorte do cão, que estava preso em uma poça de piche. Os trabalhadores tentaram retirar o pet da poça, mas não tiveram sucesso, e optaram por chamar Joanna Godlewska, voluntária de um abrigo de animais da região, o ‘Fundacja Zwierzęta Niczyje’. “Quando cheguei e vi o cachorro deitado em cima do piche, comecei a chorar”, contou Joanna em entrevista ao The Dodo. 

Acredita-se que o pet, provavelmente abandonado, estava procurando por calor e abrigo durante a noite, e encontrou a poça de piche – despejado ilegalmente no local – e deitou ali. Quando percebeu que estava preso, já era tarde demais. Não se sabe por quanto tempo ele estava lá, mas se não tivesse sido resgatado a tempo, o cão teria morrido.

Leia Também:  Mulher flagra momento em que cobra sai de dentro de seu carro

Leia também: O clima esfriou? Cuidado com a tosse canina!


cachorro
Facebook

O cachorro foi resgatado da poça e está bem

Joanna e o corpo de bombeiros estavam destinados a retirar o bicho do piche, e cada vez que estavam mais próximos de tira-lo por inteiro de lá, a esperança reaparecia nos olhos do pet. Os voluntários cortaram a maior parte do pelo do animal que estava preso na substância e utilizaram óleo de cozinha para dissolver o resto.

Leia também: Estudo mostra que terapia assistida por animais ajuda crianças hospitalizadas

Quando finalmente saiu da poça, o cão foi levado rapidamente ao veterinário, que cuidou de sua exaustão e providenciou um belo banho para eliminar os restos de piche de seu corpo. Agora, o cão está cada vez mais forte, e não teve grandes problemas a não ser algumas feridas superficiais pelo atrito da substância em seu corpo.

Fonte: Canal do Pet
Continue lendo

Meu Pet

Alpaca de estimação é tratada como cachorro e até viaja com a dona

Publicado

Animais exóticos estão se tornando cada vez mais populares na casa das pessoas. Iguanas, calopsitas, cobras e até lagartos são bem recebidos hoje em dia. Mas uma alpaca de estimação com certeza é inovadora e chama a atenção por onde passa. E foi assim que Strudel, uma alpaca de 10 meses, ganhou os holofotes das redes sociais australianas – e do mundo todo.

Leia também: Cadela policial ganha espaço em álbum fotográfico anual de escola


alpaca de estimação
Instagram/ Strudel the Alpaca

A alpaca de estimação Strudel


Shandelle Peters, a tutora do animal, o leva em todos os lugares possíveis, desde concessionárias até praia. O pet já está acostumado a andar de carro e na rua usando coleira, igual um cachorro. A alpaca também faz companhia para a avó de Shandelle, que mora em uma casa de repouso.


“Cresci cercada de animais, cachorros , gatos, coelhos, alpacas. Quando me mudei para a cidade, não pude deixar Strudel, e o trouxe junto”, contou a dona ao site Metro. “Estou pensando em trazer seu irmão Noodle também, para que ele se sinta menos sozinho”, afirma.

Leia também: Conheça as principais diferenças entre Buldogue Francês e Boston Terrier

E claro que as crianças adoram a presença do pet. Sempre que sai de casa, Strudel é recebido com uma avalanche de elogios e mãos curiosas querendo fazer carinho. Ele é muito sociável e ganha o coração das pessoas por onde quer que passe.

Seu último passeio foi na praia, onde ele nunca havia ido. E, pelas fotos de seu Instagram, que conta com mais de dois mil seguidores, parece que ele curtiu a viagem.


Fonte: Canal do Pet
Leia Também:  Mulher flagra momento em que cobra sai de dentro de seu carro
Continue lendo
ouça ao vivo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Esportes

Entretenimento

Mais Lidas da Semana